Existem 3 fases da ignorância: Não saber que não sabe. Saber que não sabe. Não saber que sabe. Qual a sua?

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Empregoema

Hora de bater cartão.
Cartão de poeta,
poeta noturno.
Que em todo mundo há,
um certo receio dá,
vontade também,
mas é que é triste, não deixa feliz.
E o poeta está lá,
falso poeta,
poeta mentira, trapaceando o verso.
Mas eu... eu bato cartão,
dou "bença",
marco ponto na linha do coração.
A estrofe das vinte e quatro horas,
profissão poeta.
Dói trabalhar,
é que mexe lá dentro,
não tem pausa, é natural.
O poeta não desliga,
não tem horário de almoço,
nem feriado tem.
Domingo é só de Deus, que tô longe!
Então,
quer saber?
Vou trabalhar, pão de cada dia,
poemas mil.

-
Parabéns a todos os (bons) professores!

2 comentários:

Luiz Fernando disse...

melhor pagamento é a satisfação de ver eternizado aquilo que do infimo libertou-se.

você escreve lindamente minha cara!

Vinícius Pavan disse...

Dói trabalhar,
é que mexe lá dentro,
não tem pausa, é natural.