Existem 3 fases da ignorância: Não saber que não sabe. Saber que não sabe. Não saber que sabe. Qual a sua?

domingo, 3 de outubro de 2010

saved

fala bem do que mal sabe
e sente errado
o que é certo

agora, agora sim sentidos aguçados, e finalmente sem interferência mundana nenhuma, para não dizer laboratorial, ou até mesmo natural. agora sim, e assim, muito mais de mim, aqui, disposta ao desperto, aberto um, e até dois olhos, o meio do pequeno escrito para grande mudança da minha vida. e nessa disputa, disposta, desperta, que força faço, para o texto certo, cego, ou são, sóbrio, ou não, de resolução, solução, sim, assim, mim, e o fim. fim da dor, mal, verdade, mundo real. finalmente o fim de todas as explicações e justificativas do sentido que não há, o terceiro olho que inventei pra mostrar seus únicos dois, abertos, exceto despertos, aquilo tudo que fiz existir a fim de mostrar que nada existe, as voltas que criei em um reto universo.

2 comentários:

Rafaela disse...

suzana

do fundo do túnel disse...

no fundo do túnel
a mudança é lenta
não se vê indo
para onde vai ca
indo
não se sente, atraído
percebe-se que nada, nunca, será concluído.

emprestando C.L.
no fundo do túnel, "se vive por que se nasce"
e nessa vida por nascência,
alguém conhece quem vê além do que a lua ilumina a cada mês, é, fascinante, no mínimo.
fascinante seria deixar de pensar como morrerá,
fascinante seria não ter de lutar
fascinante seria amar.

mas aqui no fundo do túnel
se
"acha (...)
que se enchendo
será sendo
e terá achado
o que não vem
sentido e só tem pensado"
percebido, atraído e morrido,
apenas tendo nascido
herança maldita.