Existem 3 fases da ignorância: Não saber que não sabe. Saber que não sabe. Não saber que sabe. Qual a sua?

domingo, 27 de fevereiro de 2011

Cicatriz no rosto

Perambulando com os astigmatas olhos
Ansiosos eufóricos pâncreas
Desaforados e arejados pulmões

Tosse o monstro
A fumaça do já terceiro cigarro
aceso agora pelo só charme
Tão impuro

Mas saudável à elegância da paixão
Espelha na cara do monstro
não mais tão apressado
O espelho, até ele, assustado

Com o sono pedinte do prazer de dormir
e ali viver
Pois amar
Faz-se sonho
Bastando, pois, essas feias belezas
só acordadas para sobreviver

domingo, 20 de fevereiro de 2011

Escrevendo seu sorriso

E como um favor
Ela me pediu que escrevesse
E como um dever
Foi que eu expus
O pus
Das feridas que expomos
Uma para outra
De nossos interiores

Petrificando
E remontando
O gerúndio de uma amizade sem imperativo
Só o interativo
De nossas devotas e sagradas relações

No pestanejar de nossos olhos
Silencia o sentimento
Que parece dormir
Mas na verdade confirma
De forma lenta, sábia e gradual
O re-significar

Valorizando
A sensação quase maciça
O envolvimento de uma areia movediça
Da Vênus pura
Que é Larissa